segunda-feira, 14 de fevereiro de 2011

O Cisne Negro - review sem spoilers

Domingo prestei concurso para a UFRJ, e saberei como fui ainda hoje. Nos ultimos dias, dando uma folga aos estudos de ultima hora (aqueles em que vc apenas pega a materia para lembrar o que voce ja sabe e tentar decorar o que ainda nao entrou direito na cabeca), fui quinta-feira ao cinema assistir Cisne Negro com minha namorada, seus sobrinhos e uma prima. Antes da critica, uma sinopse.

Nina, a personagem principal interpretada por Natalie Portman eh uma jovem bailarina que, motivada pela mae (uma ex-bailarina que abandonou a carreira para criar a filha) almeja o estrelato numa companhia de ballet. O diretor da companhia precisa de uma cara nova para o papel principal de O Lago dos Cisnes. Nina tem a graca e a pureza do Cisne Branco, mas nao possui a intensidade e a malicia necessarias para interpretar o Cisne Negro. Para poder assumir o papel, ela precisa enfrentar seus problemas para liberar um lado oculto de sua personalidade.

Primeiro: foi um erro assistir esse filme com um dos sobrinhos, que ainda eh moleque, pois a pelicula tem uma cena com drogas e cenas eroticas fortes em pelo menos 4 momentos (classificacao 16 anos, mas soh pq nao ocorre penetracao, eu imagino :^P).

Segundo: eh possivelmente a melhor atuacao da Natalie Portman, pelo menos a primeira que me deixou de queixo caido. O filme eh todo centrado nela, e ela nao deixa ninguem roubar a cena. O filme eh todo dela. Tem Wynona Ryder, Barbara Hershey, Vincent Cassel e Mila Kunis, todos com boas interpretacoes, mas Natalie domina todas as cenas.

Terceiro: a trilha sonora eh basicamente O Lago dos Cisnes. A intensidade das cenas, e preparacao para os momentos de tensao, e os momentos de crise sao marcados por diferentes trechos da obra. Quem jah ouviu musica classica na vida provavelmente vai reconhecer a melodia, mas ela some e eh totalmente incorporada pela imagem, como se ela mesma fizesse parte do cenario ou estivesse expressa nos rostos e movimentos dos atores.

Quarto: a fotografia do filme eh maravilhosa. As cenas tem poucas cores, mesmo em ambientes claros e ensolarados (muitas cenas sao escuras, com uma luz vacilante), realcando a contraposicao entre as faces do Cisne Branco e do Cisne Negro presentes na personagem Nina. A camera na mao, entrando no palco e dancando com os bailarinos ou acompanhando os passos de Nina na rua, em casa ou nos ensaios, mantendo um ritmo de acordo com a intensidade da cena, eh envolvente.

Quinto: o enredo eh bem inteligente. A principio, pela sinopse mesmo divulgada, sabe-se que a personagem principal encara uma face obscura da sua personalidade que ela vai desvendando com o tempo, mas o filme nao deixa claro ateh proximo do fim quais as verdadeiras causas dos fenomenos que a personagem experimenta - seria uma mae super controladora e maniaca, o diretor aproveitador, a colega presumivelmente sabotadora, uma "assombracao" que parece aparecer de vez em quando talvez? Toda a narrativa eh centrada em Nina, quase como em primeira pessoa, entao o espectador soh sabe o que esta acontecendo pelo olhar da protagonista, de modo que ateh a fantasia se torna indistinguivel da realidade. Nao ha aqueles closes em olhares dos coadjuvantes pelas costas de Nina, nem dialogos que Nina nao tenha conhecimento. O suspense estah em nao saber de onde vem o perigo, e a inteligencia da coisa estah em que o perigo sempre esteve ali.

Um dos melhores filmes que eu tenho visto ultimamente. Vou torcer pra ele no Oscar :^P

Um comentário:

Francisco disse...

Marquinhos, vá ver o Inverno da Alma (Winter Bones)... pra mim, junto com o Discurso do Rei (King's Speech) foi o melhor filme do ano... Gostei do Cisne negro, pero no mucho... Acho que eles fazem uso em demasia desse truque "o quê é real o quê é imaginação" e de certa forma você já fica preparado sabendo que vão utilizar recurso parecido do desfecho do filme.

abs

 
eXTReMe Tracker